sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Estamos salvos?

Estamos salvos?
Não ainda... mas tem alguém que sabe?

Após a gloriosa aula de Análise de Riscos, resolvi apresentar aqui dois documentos classificatórios de como agir em desastres.
Confesso que foi um deleite, saber que existe em Portugal, mais exatamente no município de Sines, um exemplo extremamente mais efeciente e abrangente inclusive nas ações de monitoramento e preventivas.
O manual brasileiro bem como as práticas ainda passam por atualizações, cabendo aqui informar que muito tem se aprendido a respeito com os desastres que aconteceram no Brasil nos últimos 10 anos, cabendo ainda um destaque a Defesa Civil do Paraná, que está trilhando um caminho exemplar a ser replicado no próprio país.

Bom seguem então dois links:
Secretaria Nacional de Defesa Civil - Brasil
Publicação elaborada com base na classificação Geral dos Desastres e na Codificação de Desastres, Ameaças e Riscos - CODAR, que permite uma visão geral dos desastres segundo a causa primária do agente causador, classificando-os em Naturais, Humanos (Antropogênicos) e Mistos.

Plano Municipal de Emergência de Sines - Portugal  
O Plano Municipal de Emergência estabelece as regras de conduta das diferentes entidades locais em caso de acidente grave, catástrofe ou calamidade e na sua prevenção.