terça-feira, 19 de agosto de 2014

Desabrochar



Cosmic Flower Unfolding from Ben Ridgway on Vimeo.

 (via Vimeo Staff Picks)

sexta-feira, 4 de julho de 2014

83 princípios de Alejandro Jodorowsky

1.- Cuando te enfermes, en lugar de odiar ese mal, considéralo tu maestro.
2.- No mires con disimulo, mira fijamente.
3.- No olvides a tus muertos, pero dales un sitio limitado, que les impida invadir toda tu vida.
4.- En el lugar donde habites, consagra siempre un sitio a lo sagrado.
5.- Fija tu atención en ti mismo, se consciente en cada instante de lo que piensas, sientes, deseas y haces.
6.- Termina siempre lo que comenzaste.
7.- Haz lo que estás haciendo lo mejor posible.
8.- No te encadenes a nada que a la larga te destruya.
9.- Desarrolla tu generosidad sin testigos.

10.- Trata a cada persona como si fuera un pariente cercano.
11.- Ordena lo que has desordenado.
12.- Aprende a recibir, agradece cada don.
13.- Cesa de autodefinirte.
14.- No mientas ni robes, si lo haces te mientes y robas a ti mismo.
15.- No desees ser imitado.
16.- Haz planes de trabajo y cúmplelos. 
17.- No ocupes demasiado espacio.-
18.- No hagas ruidos ni gestos innecesarios.
19.- Si no la tienes imita la fe.

20.- No te dejes impresionar por personalidades fuertes.
21.- No te apropies de nada ni de nadie.
22.- Reparte equitativamente.
23.- No seduzcas.
24.- Come y duerme lo estrictamente necesario.
25.- No hables de tus problemas personales.
26.- No emitas juicios ni criticas cuando desconozcas la mayor parte de los hechos.
27.- No establezcas amistades inútiles.
28.- No sigas modas.
29.- No te vendas.30.- Respeta los contratos que has firmado.
31.- Sé puntual.
32.- No envidies los bienes o los éxitos del prójimo.
33.- Habla sólo lo necesario.
34.- No pienses en los beneficios que te va a procurar tu obra.
35.- Nunca amenaces.
36.- Realiza tus promesas.
37.- En una discusión ponte en el lugar del otro.
38.- Admite que alguien te supere.
39.- No elimines, sino transforma.

40.- Vence tus miedos, cada uno de ellos es un deseo que se camufla.
41.- Ayuda al otro a ayudarse a sí mismo.
42.- Vence tus antipatías y acércate a las personas que deseas rechazar.
43.- No actúes por reacción a lo que digan bueno o malo de ti.
44.- Transforma tu orgullo en dignidad.
45.- Transforma tu cólera en creatividad.
46.- Transforma tu avaricia en respeto por la belleza.
47.- Transforma tu envidia en admiración por los valores del otro.
48.- Transforma tu odio en caridad.
49.- No te alabes ni te insultes.
50.- Trata lo que no te pertenece como si te perteneciera.
51.- No te quejes.
52.- Desarrolla tu imaginación.
53.- No des órdenes solo por el placer de ser obedecido.
54.- Paga los servicios que te dan.
55.- No hagas propaganda de tus obras o ideas.
56.- No trates de despertar en los otros emociones hacia ti como piedad, admiración, simpatía, complicidad.
57.- No trates de distinguirte por tu apariencia.
58.- Nunca contradigas, solo calla.
59.- No contraigas deudas, adquiere y paga enseguida.

60.- Si ofendes a alguien, pídele perdón.
61.- Si lo has ofendido públicamente, excúsate en público.
62.- Si te das cuenta de que has dicho algo erróneo, no insistas por orgullo en ese error y desiste de inmediato de tus propósitos.
63.- No defiendas tus ideas antiguas sólo por el hecho de que fuiste tú quien las enunció.
64.- No conserves objetos inútiles.
65.- No te adornes con ideas ajenas.
66.- No te fotografíes junto a personajes famosos.
67.- No rindas cuentas a nadie, sé tu propio juez.
68.- Nunca te definas por lo que posees.
69.- Nunca hables de ti sin concederte la posibilidad de cambiar.
70.- Acepta que nada es tuyo.
71.- Cuando te pregunten tu opinión sobre algo o alguien, di solo sus cualidades.
72.- 76.- Cuando realices un servicio, no resaltes tus esfuerzos.
73.- Si decides trabajar para los otros, hazlo con placer.
74.- Si dudas entre hacer y no hacer, arriésgate y haz.
75.- No trates de ser todo para tu pareja, admite que busque en otros, lo que tú no puedes darle.
76.- Cuando alguien tenga su público no acudas para contradecirlo y robarle la audiencia.
77.- Vive de un dinero ganado por ti mismo.
78.- No te jactes de aventuras amorosas.
79.- No te vanaglories de tus debilidades.
80.- Nunca visites a alguien sólo por llenar tu tiempo.
81- Obtén para repartir.
82.- Ayuda a tu prójimo sin hacerlo dependiente.
83.- Si estas meditando y llega un diablo, pon ese diablo a meditar…

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Jodorowski, Psicomagia e coisas que você ainda não sabe.

"Los  pájaros nascidos en jaula creen que volar es una enfermedad" 
- Alejandro Jodorowsky

Muito distante dos escritores e cineastas usuais, o chileno Alejandro Jodorowski tem alguns trabalhos brilhantes:

1970 - El Topo (filme)

1973 - The Holy Mountain (filme)




2013 - La danza de la realidad /La Danse de la réalité (memorias)



Jodorowsky é também criador da Psicomagia, uma técnica que busca nos curar dos bloqueios sexuais, emocionais e intelectuais que nos impedem de realizar o nosso destino na vida através de atos simbólicos. As premissas fundamentais da Psicomagia são:
- O fracasso não existe, a cada fracasso, mudamos nosso caminho.
- Para chegar até o que você é, você deve ir por onde não é.
- Tornar-se aquilo que se é, é a maior felicidade.
E ainda, que em cada doença, há:
- Uma proibição – te proíbem de ser o que você é.
- Uma falta de consciência – quando você não se dá conta do que é.
- Uma falta de beleza – quando se perde a beleza na vida, se adoece.
Atualmente morando em Paris, Alejandro Jodorowsky está quase todos os dias no Café le Temeraire, onde faz leituras gratuitas de Tarot e atende como Psicomago. É possível se consultar com ele através de seu site ou do twitter @alejodorowsky



segunda-feira, 14 de abril de 2014

Reutilização de materiais - um atalho para Soluções Sustentáveis?




O foco em fechar o ciclo de materiais não é novidade. De fato, temos visto várias gerações deste conceito, a partir do início dos anos noventa, quando projeto para reciclagem foi excessivamente publicitado se transformando em "tendência". Isso resultou nesta codificação engraçada de peças plásticas, mostrando que tipo de plástico foram feitos. 
Aparentemente, a ideia era que iríamos estabelecer fábricas onde os trabalhadores com bons óculos de leitura desmontariam cuidadosamente produtos, leriam os rótulos e jogariam cada parte na lixeira certa. Como uma solução sustentável, isso era demasiado complexo. Na vida real, os produtos não são desmontados, mas triturados ou fatiados. Então, nós encontramos algo melhor: Projeto ou "design" para a fragmentação. As novas tecnologias fazem um trabalho razoavelmente bom de separar os diferentes materiais. Mas devemos ser cuidadosos em tentar fechar os laços e reutilizar materiais para fazer novos produtos - para os plásticos, por exemplo, o material reciclado ainda é de baixa qualidade e valor. Em vez disso, devemos ter certeza de que não estamos latindo para a árvore errada , e procurar outras formas em que resíduos podem contribuir para a sustentabilidade. Transforma-los ao invés de simplesmente reutiliza-los.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Mapeando o novo aprender

“O objetivo da ONG, cujo Reevo é o primeiro projeto, é reunir comunidades e coletivos de pessoas com interesses comuns e trabalhar em rede para construir conhecimento e formas de ação coletiva”, explicou ao Porvir o cineasta argentino German Doin, 26, líder do projeto.

O trabalho provocativo de Doin em prol da educação alternativa começou antes da criação do mapa, a partir do filme independente “La Educación Prohibida”,  lançado em agosto de 2012 pela internet, depois de três anos de produção. Para filmar a película, o argentino e outras pessoas que se juntaram a ele ao longo do processo visitaram 45 experiências de educação não convencionais em sete países da América Latina. A ideia era divulgar formas de educação transformadora e promover debate sobre o tema. E eles conseguiram.

O mapa é uma continuação dessa conversa. Lançado junto com o filme, o Reevo documenta experiências (as do filme e outras) e as divulga. A ideia é transformar o Reevo em uma rede social e virtual dedicada à educação alternativa. O próximo passo é combinar o mapa com uma enciclopédia colaborativa.




Doin não está sozinho na empreitada. Atualmente, quatro pessoas com formação em comunicação e redes colaborativas trabalham em tempo integral no projeto. E cerca de 20 ativistas voluntários de vários países da América Latina e do mundo hispânico contribuem visitando escolas e relatando iniciativas inovadoras, assim como Doin fez para filmar seu filme.

Doin também é entusiasta das múltiplas iniciativas  que buscam exemplos de ensino inovador e espera que elas transformem a educação. 

“Não é algo coordenado, mas estamos usando um meio de comunicação que a academia e os espaços que tradicionalmente pesquisam educação não usam, que é a internet e a cultura livre de divulgação de conhecimentos. Dentro da universidade muita gente já fez esse mesmo trabalho, mas isso se perdeu em bibliotecas, bancas. Estamos tratando de recuperar essas investigações. Dar visibilidade a essas experiências vai influenciar mais as políticas publicas”, diz.

Via

Uma avalanche de estímulos

O Café Filosófico cpfl, é uma série de encontros nos quais são abordados os anseios e angústias dos indivíduos na sociedade contemporânea. Aqui, o ponto de partida para se pensar o contemporâneo são as pessoas e seus afetos; são os comportamentos, angústias e ansiedades nas relações mais próximas de cada um de nós; são expressões, estilos, aventuras e modos de existir. as referências teóricas fundamentais estão na psicanálise e na filosofia.

Nesse contexto, trago para o Sustentacto o episódio Relações humanas, demasiado humanas – parte 1 – com Marcelo Tas, Martha Gabriel, Ronaldo Lemos e Jorge Mautner. É inegável: nunca na história da civilização tivemos acesso a tal quantidade de informação. junto com a avalanche de estímulos, uma igual quantidade de dúvidas, angústias..


     

Via

sexta-feira, 4 de abril de 2014

1964 - 2014 - 50 anos do Golpe Militar no Brasil

A produção independente financiada pelo Projeto Marcas da Memóriada comissão de Anistia "Militares da Democracia", traz em seu primeiro episódio os antecedentes do Golpe Militar de 1964 entre os dias 31 de março e 2 de abril, quando forças armadas provenientes de Minas Gerais se rebelaram contra o governo de João Goulart, levando o presidente à decisão de partir para Porto Alegre.

Militares da Democracia - O dia do golpe

 

terça-feira, 1 de abril de 2014

O Sistema Educacional está obsoleto

"Desde a pré-escola até o pós-doutorado, o que fazemos é estimular o estudante a ser dependente do professor"- Ronaldo Mota

Conforme entrevista de Ronaldo Mota (Professor emérito da UFSM, especialista em ensino e inovação tecnológica), o atual sistema educacional é obsoleto e o novo modelo só se erguerá se docentes e instituições ouvirem as lições de um ator: o aluno.

Nas palavras de Mota:

"O modelo de escola que conhecemos hoje será completamente extinto. O papel do professor, também. Ele poderá até receber outra denominação, como "designer educacional", um profissional dedicado à organização de conteúdos. Mas ele não poderá fazer essa tarefa sozinho: o processo de ensino e aprendizado será cada vez mais coletivo. O designer educacional de física que se propuser a colocar o conteúdo de aula em uma plataforma on-line contará com ajuda de gente que saiba usar a plataforma, alguém que entenda de design, usabilidade e ferramentas no ambiente virtual. Não será uma pessoa só, vai ser um time. No começo do processo de mudança, provavelmente ainda contaremos com um professor clássico, que domina o conteúdo de uma disciplina. Mas ao lado dele, veremos um menino de 14 anos, responsável por fazer a interface gráfica da plataforma. É um fenômeno que já está acontecendo: as grandes funcionalidades dos portais educacionais são desenvolvidas hoje por jovens que dominam os sistemas digitais graças à afinidade que possuem com o universo dos games. Se resolver ficar sozinho, o professor perderá essa corrida

Precisamos usar metodologias que valorizem a aprendizagem independente. Em caminho contrário, o Brasil deve ser o campeão mundial da aprendizagem dependente. Desde a pré-escola até o pós-doutorado, o que fazemos é estimular o estudante a ser dependente do professor. Por que o professor que termina o pós-doutorado na universidade tem medo de sair do laboratório? Porque ele é dependente. Nos países mais desenvolvidos, o estudante é estimulado a encontrar seus próprios caminhos. Aqui,  criamos uma estrutura de dependência tão grande que as pessoas são estimuladas a não abdicar da zona de conforto. O que mais precisamos é do oposto disso. Quando isso ocorre, temos a rebelião à que estamos assistindo, sem interferência do Estado, dos pais e muito menos da escola: essa rebelião é movida pela juventude à procura de mecanismos alternativos. Isso explica o sucesso de serviços de aprendizagem on-line como o Veduca, que já tem 3,5 milhões de inscritos".



Trechos da entrevista feita por Bianca Bibiano para a Veja

Um breve retrato da classe média brasileira

"O crédito está corroendo o poder econômico da classe média enquanto engorda a conta bancária dos bancos"  - Marcos Rezende.

Um estudo publicado em fevereiro de 2014 pela Serasa, revelou que a classe média movimenta 58% do crédito e injeta R$ 1 trilhão na economia todos os anos se tornando o principal público consumidor do país adquirindo tanto bens individuais (viagens, notebooks, tablets, smartphones) como bens familiares (móveis, eletrodomésticos, carros, imóveis).
Estima-se que em 2033 apenas 9% dos brasileiros pertencerão à classe baixa contra os 24% atuais, fazendo o número de brasileiros na classe média aumentar de 54% para 58% e de 22% para 33% na classe alta.
Apesar dos belos números, ficam no ar as seguintes perguntas:
  • Será que a classe média está feliz com este aumento do poder econômico?
  • Será que ela está contente com os serviços públicos que utiliza e com a infraestrutura oferecida pelo país?
  • Será que ela está realizando seus sonhos ou apenas satisfazendo alguns desejos pontuais de consumo?
  • E o futuro dos seus filhos? Estão garantidos ou a classe média precisa se esforçar ainda mais para mantê-los na posição social que conseguiram alcançar?
  • Qual o valor da riqueza para a classe média? A prisão do consumo ou a liberdade de escolha que praticamente não existe?
O estudo complementa, que o maior número de membros da classe média (39%) faz largo uso do crédito a que tem acesso, focando nas prioridades, geralmente vinculadas ao bem-estar familiar.
Classificados como batalhadores, eles gastam seu dinheiro em turismo nacional, veículos, eletroeletrônicos, imóveis, móveis, eletrodomésticos e seguros e tem como produtos e serviços de desejo, viagens de avião para destinos nacionais, móveis para casa, máquina de lavar, TV (Plasma, LCD e LED), imóvel e carro.
Ou seja, apesar do poder econômico que esse grupo adquiriu, utilizam o dinheiro para satisfazer seus desejos mais imediatos; vendem seu tempo em troca de um salário no final do mês que lhes possibilite pagar as dívidas assumidas; e não possuem dinheiro guardado ou aplicado de nenhuma forma.
Resumindo, a classe média é uma massa gorda da economia brasileira que nada mais faz além de pagar contas.

5 algemas mentais que aprisionam você à classe média 

Algema 1: O futuro a Deus pertence

algemas casal idoso se olhando 5 algemas mentais que aprisionam você à classe média
“Preparar o futuro significa fundamentar o presente.” ~ Antoine de Saint-Exupéry 
Você sabe o que você vai estar fazendo aos 70 anos? Com quem você vai estar ou qual será a sua contribuição para o mundo?
Apesar de muitas pessoas acreditarem que a vida acaba um pouco antes dos 70 anos, a expectativa de vida no Brasil atualmente é de 74,6 anos conforme estudo do final de 2013 publicado pelo IBGE.
Será nessa idade que você não terá mais o pique dos vinte e poucos anos quando conseguia sair à noite, beber e ir trabalhar no dia seguinte.
Sempre surgem novas “oportunidades” que não me abalam como antes porque mantenho o foco naquilo que decidi para o meu futuro. Quando uma “oportunidade” nova surge, me pergunto: Isto tem a ver com o que planejei para o meu futuro?

Algema 2: É preciso aproveitar enquanto é tempo.

algemas homem pensando 5 algemas mentais que aprisionam você à classe média
“Saiba que são suas decisões, e não suas condições, que determinam seu destino.” ~ Anthony Robbins 
Vale mesmo à pena participar daquela promoção onde você compra uma televisão para ganhar outra caso o Brasil seja campeão da Copa do Mundo? Ou comprar aquele carro mais bonito só para desfilar para os vizinhos do condomínio?
Na maioria das vezes não tomamos as melhores decisões porque não estamos comprometidos com uma visão de longo prazo. Assumimos dívidas e compromissos desalinhados com os nossos objetivos de vida porque estamos com a atenção voltada para a satisfação dos desejos presentes.
Um bom exemplo é quando compramos um carro que já é caro quando pago à vista e que fica ainda mais caro quando pago à prazo só porque desejamos ter um carro melhor do que aquele que temos agora.
Enquanto um brasileiro paga US$ 28,6 mil por um Astra, o europeu, com o mesmo valor (US$ 28,3 mil) compra um BMW 3 Series. Sem falar nos juros de financiamento, onde a média cobrada no Brasil é de 25% (ao ano), enquanto na Alemanha são 4%, nos EUA 8% e no Japão 6% conforme citado em uma reportagem recente do portal Terra.
Seth Godin, guru do marketing mundial, disse:
  • Quem determina a forma como reagimos às coisas que acontecem com a gente?
  • Quem escolhe a mídia que consumimos?
  • Quem decide o que começamos e o que abandonamos?
  • Quem decide que tipo de coisas investimos ou não?
  • Quem procura alguém para culpar?
Continua: “Em uma cultura onde mais e mais escolhas são tiradas das mãos daqueles que se identificam como consumidores ou engrenagens do sistema, os adultos ainda possuem algumas das responsabilidades mais importantes de todas.”
Distraídos, tomamos decisões precipitadas que comprometem nosso tempo e dinheiro sem avaliar o impacto destas decisões no nosso futuro e no da nossa família. Por isso a classe média está presa a objetos, salários e financiamentos que estão corroendo o seu poder pessoal, a sua saúde e o avanço dos seus membros para classes sociais mais acima.

Algema 3: O tempo é curto.

algemas despertador no chao 5 algemas mentais que aprisionam você à classe média
“Com organização e tempo, acha-se o segredo de fazer tudo e bem feito.” ~ Pitágoras
Você já parou para perceber que Bill Gates aos 19 anos viveu o mesmo número de horas que você viveu também aos 19 anos?
A diferença entre a vida dele, a minha e a sua, é que ele utilizou seu tempo de forma diferente de nós, pois podem levar anos tentando se encontrar, enquanto que ele, aos 19 fundava a Microsoft, empresa que hoje tem quase 40 anos e foi avaliada em US$ 238.784 bilhões em 2010.
Não há nada de errado em ser empregado, inclusive tem muito dono de empresa que é empregado do seu próprio negócio, mas a principal chave para quebrar essa algema que te mantém preso à classe média é compreender que o tempo é um ativo limitado, que depois que usamos ou vendemos o nosso tempo não temos como recuperá-lo.
Sendo empregado ou trabalhando como prestador de serviços para outras pessoas, você precisa ter em mente que deve se aperfeiçoar para aumentar o valor da sua hora ou criar um sistema de trabalho envolvendo delegação de tarefas a pessoas e softwares que multiplique a quantidade de horas que você consegue entregar para seus clientes.
Um dos principais erros na carreira é vender as horas que se tem quando se é mais jovem para receber um bom salário ou ter aberto uma empresa de prestação de serviços onde eu era o meu principal empregado.

Algema 4: Segunda-feira é pior dia da semana.

algemas nao faz o que gosta 5 algemas mentais que aprisionam você à classe média
“A escravatura humana atingiu o seu ponto culminante na nossa época sob a forma do trabalho livremente assalariado.” ~ George Bernard Shaw 
Você hoje é melhor naquilo que faz hoje do que era ontem? Você está planejando aprender um pouco mais sobre aquilo que trabalha hoje no dia de amanhã?
55% dos profissionais do mercado não estão satisfeitos com o seu trabalho como revelado em uma pesquisa recente da empresa 4Hunter Consultoria.
Isso revela que 55% do mercado não está evoluindo como poderia estar, porque como seus membros não gostam daquilo que fazem acabam tendo menos interesse em melhorar na profissão que aqueles que gostam. Todo mundo perde.
Se você gosta de cozinhar, provavelmente é o primeiro a entrar na cozinha no dia de domingo e o último a sair. Você pesquisa novos pratos na internet para fazer para seus convidados e compra de vez em quando um novo acessório ou livro para lhe auxiliar nesta tarefa.
Por gostar daquilo que você faz você se interessa, vai atrás de novas informações se dedicando continuamente em melhorar suas habilidades culinárias.
Fuja do objetivo familiar de encontrar uma profissão que dê dinheiro ao invés de uma que dê satisfação. É por esse motivo que temos médicos, engenheiros, advogados, técnicos e toda a sorte de profissionais, medíocres, que entraram na profissão para ganhar dinheiro e não porque gostavam. 
5) Dinheiro não traz a felicidade!
algemas cartao de credito 5 algemas mentais que aprisionam você à classe média
“O dinheiro não traz felicidade — para quem não sabe o que fazer com ele.” ~ Machado de Assis (Tweet Isso)
Seria ótimo se você pudesse ficar em casa quando seus filhos estivessem doentes? Ou poder ir no café da tarde de aniversário daquela tia-avó que tem 89 anos, que você adora e que sabe que talvez esse possa ser o último aniversário que ela vá comemorar? Ou ainda ter tempo para colocar aquela conversa em dia com a sua esposa ou com o seu marido? Então ...
Dinheiro é sim uma ferramenta poderosa para sustentação da felicidade.
É quando estamos mais tranquilos em relação ao dinheiro que nos permitimos planejar melhor um novo projeto, assistir aquele filme que nos recomendaram ou simplesmente resolver os problemas do dia a dia que acontecem dentro de casa e nas nossas empresas.
É por causa de pensamentos como esse que a maioria das pessoas não estuda sobre o tema finanças. Não sabem administrar o próprio dinheiro e tampouco utilizar o próprio sistema econômico para gerar mais receita para si. Pensam que economia é juntar dinheiro na poupança enquanto paga todas as contas do mês dentro do vencimento.
O crédito está corroendo o poder econômico da classe média enquanto engorda a conta bancária dos bancos.
O patrimônio líquido do banco Itaú no segundo trimestre de 2013 atingiu R$ 75,8 bilhões, crescimento de 1,8% em relação ao trimestre anterior fechando o primeiro semestre daquele ano com o segundo maior lucro da história dos bancos, perdendo apenas para ele mesmo em 2011.
Dentre os fatores que contribuíram para este crescimento, estão a alta de 13,5% dos empréstimos consignados e 8,7% dos financiamentos imobiliários, além do crescimento de 15% a 18% nas receitas com prestação de serviços e resultados com seguros, previdência e capitalização, um dos piores destinos para o dinheiro da classe média.
Traduzindo, a classe social que mais consome no país, paga os juros que engordam o lucro dos bancos que utilizam essa falta de educação financeira para vender produtos e serviços que só ajudam a apertar esta última algema no pescoço de quem não sabe:
  • lidar com dinheiro;
  • trabalhar no que ama;
  • utilizar o tempo a seu favor;
  • tomar boas decisões; e
  • planejar o futuro.
É como se a classe média fosse um adolescente que se acha o “rei da cocada preta” enquanto se contenta com as esmolas de prazer que sua pobre vida lhe oferece a cada final de semana.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Pepe Mujica, um líder exótico.

Os jornalistas brasileiros Ricardo Boechat, Fernando Mitre e Fabio Pannunzio viajaram até o Uruguai para entrevistar o presidente do país, José Mujica. Eleito em 2009, "El Pepe" vive em uma casa modesta na zona rural de Montevidéu, doa maior parte do seu salário para pessoas carentes e se locomove no seu fusca 1977.




Confira a entrevista dividida em 5 blocos:

1º Bloco - A descriminalização da maconha.
2º Bloco - O Uruguai vanguardista.
3º Bloco - Política para salvar vidas.
4º Bloco - Um líder exótico.
5º Bloco - As marcas da ditadura no Uruguai.


Via


quinta-feira, 27 de março de 2014

The Innovation of Loneliness

What is the connection between Social Networks and Being Lonely?
Quoting the words of Sherry Turkle from her TED talk - Connected, But Alone.
(ted.com/talks/sherry_turkle_alone_together.html)
Also Based on Dr. Yair Amichai-Hamburgers hebrew article -The Invention of Loneliness.
Script, Design & Animation: Shimi Cohen
Final Project at Shenkar College of Engineering and Design.

The Innovation of Loneliness from Shimi Cohen on Vimeo.

Via Shimi Cohen

quarta-feira, 26 de março de 2014

10 Things Highly Intuitive People Do Differently

Cognitive science is beginning to demystify the strong but sometimes inexplicable presence of unconscious reasoning in our lives and thought. Often dismissed as unscientific because of its connections to the psychic and paranormal, intuition isn't just a bunch of hoo-ha about our "Spidey senses" -- the U.S. military is even investigating the power of intuition, which has helped troops to make quick judgments during combat that ended up saving lives.
"There is a growing body of anecdotal evidence, combined with solid research efforts, that suggests intuition is a critical aspect of how we humans interact with our environment and how, ultimately, we make many of our decisions," Ivy Estabrooke, a program manager at the Office of Naval Research, told the New York Times in 2012.
They listen to that inner voice.
"It's very easy to dismiss intuition," says Burnham. "But it's a great gift that needs to be noticed."
The No. 1 thing that distinguishes intuitive people is that they listen to, rather than ignore, the guidance of their intuitions and gut feelings.
"Everybody is connected to their intuition, but some people don't pay attention to it as intuition," Burnham say. "I have yet to meet a successful businessman that didn't say, 'I don't know why I did that, it was just a hunch.'"
In order to make our best decisions, we need a balance of intuition -- which serves to bridge the gap between instinct and reasoning -- and rational thinking, according to Francis Cholle, author of The Intuitive Compass. But the cultural bias against following one's instinct or intuition often leads to disregarding our hunches -- to our own detriment.
"We don't have to reject scientific logic in order to benefit from instinct," says Cholle. "We can honor and call upon all of these tools, and we can seek balance. And by seeking this balance we will finally bring all of the resources of our brain into action."
They take time for solitude.
If you want to get in touch with your intuition, a little time alone may be the most effective way. Just as solitude can help give rise to creative thinking, it can also help us connect to our deepest inner wisdom.
Intuitive people are often introverted, according to Burnham. But whether you're an introvert or not, taking time for solitude can help you engage in deeper thought and reconnect with yourself.
"You have to be able to have a little bit of solitude; a little bit of silence," she says. "In the middle of craziness ... you can't recognize [intuition] above all of the noise of everyday life."
They create.
"Creativity does its best work when it functions intuitively," writes researcher and author Carla Woolf.
In fact, creative people are highly intuitive, explains Burnham, and just as you can increase your creativity through practice, you can boost your intuition. In fact, practicing one may build up the other.
They practice mindfulness.
Meditation and other mindfulness practices can be an excellent way to tap into your intuition. As the Search Inside Yourself Leadership Institute explains, "Mindfulness can help you filter out mental chatter, weigh your options objectively, tune into your intuition and ultimately make a decision that you can stand behind completely."
Mindfulness can also connect you to your intuition by boosting self-knowledge. A 2013 study published in the journal Perspectives on Psychological Science showed that mindfulness -- defined as "paying attention to one's current experience in a non-judgmental way" -- may help us to better understand our own personalities. And as Arianna Huffington notes in Thrive, increased intuition, compassion, creativity and peace are all wonderful side effects of meditating.
They observe everything.
"The first thing to do is notice -- keep a little journal, and notice when odd things happen," Burnham says. You'll gain a keen sense for how often coincidences, surprising connections and on-the-dot intuitions occur in your daily life -- in other words, you'll start to tap into your intuition.
They listen to their bodies.
Intuitive people learn to tune into their bodies and heed their "gut feelings."
If you've ever started feeling sick to your stomach when you knew something was wrong but couldn't put your finger on what, you understand that intuitions can cause a physical sensation in the body. Our gut feelings are called gut feelings for a reason -- research suggests that emotion and intuition are very much rooted in the "second brain" in the gut.

They connect deeply with others.
Mind reading may seem like the stuff of fantasy and pseudo-science, but it's actually something we do everyday. It's called empathic accuracy, a term in psychology that refers to the "seemingly magical ability to map someone's mental terrain from their words, emotions and body language," according to Psychology Today.
"When you see a spider crawling up someone's leg, you feel a creepy sensation,"Marcia Reynolds writes in Psychology Today. "Similarly, when you observe someone reach out to a friend and they are pushed away, your brain registers the sensation of rejection. When you watch your team win or a couple embrace on television, you feel their emotions as if you are there. Social emotions like guilt, shame, pride, embarrassment, disgust and lust can all be experienced by watching others."
Tuning into your own emotions, and spending time both observing and listening to others face-to-face can help boost your powers of empathy, says Reynolds.
They pay attention to their dreams.
Burnham recommends paying attention to your dreams as a way to get in touch with your mind's unconscious thinking processes. Both dreams and intuition spring from the unconscious, so you can begin to tap into this part of your mind by paying attention to your dreams.
"At night, when you're dreaming, you're receiving information from the unconscious or intuitive part of your brain," says Burnham. "If you're attuned to your dreams, you can get a lot of information about how to live your life."
They enjoy plenty of down time.
Few things stifle intuition as easily as constant busyness, multitasking, connectivity to digital devices and stress and burnout. According to Huffington, we always have an intuitive sense about the people in our lives -- on a deep level, we know the good ones from the "flatterers and dissemblers" -- but we're not always awake enough to our intuition to acknowledge the difference to ourselves. The problem is that we're simply too busy.
"We always get warnings from our heart and our intuition when they appear," she writes in Thrive. "But we are often too busy to notice."
They mindfully let go of negative emotions.
Strong emotions -- particularly negative ones -- can cloud our intuition. Many of us know that we feel out of sorts or "not ourselves" when we're upset, and it may be because we're disconnected from our intuition.
"When you are very depressed, you may find your intuition fails," says Burnham. "When you're angry or in a heightened emotional state ... your intuition [can] fail you completely."
The evidence isn't just anecdotal: A 2013 study published in the journal Psychological Science showed that being in a positive mood boosted the ability to make intuitive judgments in a word game.
That's not to say that intuitive people never get upset -- but your intuition will fare better if you're able to mindfully accept and let go of negative emotions for the most part, rather than suppressing or dwelling on them.